João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


                          O REINO DE DEUS
 
 
“Buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo.”              
                                                                                                                         Mateus 6, 33.
 
                                              13_yod.gif
 
 
 
Foi assim que ensinou o nosso Mestre:
Não existe uma única coisa no mundo,
Nem o que se come ou o que se veste,
Que mereça o nosso pensar profundo.
 
Se em Deus nós confiarmos realmente,
Essas coisas ele nos dará e muito mais.
Que ele nos dê saúde e uma boa mente,
Que do resto a gente pode correr atrás.
 
Entretanto não se deve esperar sentado,
Que Ele forneça nosso pão de cada dia,
Pois de graça nenhum valor é estimado.
 
Que cada dia traga seu próprio cuidado.
Confie em Deus e trabalhe com alegria,
Que tudo o mais lhe será acrescentado.           
 
 
 
É por isso que Jesus disse: O reino de Deus está dentro de vós. E está mesmo. Está inscrito, como programa fundamental dentro do DNA de cada um de nós e já vem conosco no momento em que nascemos. Ele é o nosso cérebro. Ele é como o Windows. Cheio de ferramentas para que gente a possa fazer um monte de coisas com ele. Não é a toa que o autor desse formidável software deu esse nome ao programa. Windows, janela.
Janela aberta para o mundo é o nosso cérebro. É só abri-la e ver o que o mundo está nos oferecendo cada manhã. Talvez pareça a mesma visão todos os dias. Mas não é. Se você prestar atenção notará que alguma coisa nova foi acrescentada nessa paisagem. Um novo prédio que começou a ser construído, um novo modelo de carro, pessoas diferentes, que você nunca viu passando em frente á sua janela, uma flor que furou o asfalto e surgiu para a luz do dia, uma árvore que já estava lá ontem, mas você não havia prestado atenção. Talvez você mesmo tenha mudado e começou a ver as coisas por uma ótica diferente...
 
Todos os seres humanos foram dotados pelo Criador com os recursos necessários para a perfeita realização de suas missões na vida.
 
Esse pressuposto está inscrito nas próprias leis da natureza humana. A natureza é sábia e não faz nada que seja inútil ou destituída de sentido. Dessa forma, não deixa nascer no mundo uma só criatura que não seja importante para o seu propósito. 
Quando não estamos obtendo bons resultados em nossa vida é porque, de alguma forma, não conseguimos acessar de forma adequada as fontes de onde emanam esses recursos. Não estamos sabendo usar o nosso Windows. Essas fontes são uma herança inata de todas as espécies vivas, que no devido grau e na devida conta, lhes é concedida pela natureza a partir do momento em que cada espécime desponta para a vida. 
Essa herança – e não estamos falando aqui do gabarito biológico de cada espécie, mas sim de uma “informação” presente nas suas células desde o momento de sua aparição no mundo – é uma energia que atua dentro do nosso organismo. É ela que o leva se organizar física e neurologicamente de acordo com a propensão de sua espécie e das finalidades para as quais foi criada.
Essa propriedade inata que os organismos têm para buscar as suas próprias conformações já havia sido intuída por Aristóteles (384 – 382 a C.), que a chamou de enteléquia. Ele a descreveu como uma força que age no interior de cada um dos seres da natureza para fazê-lo atingir seu mais perfeito acabamento, ou seja, a finalidade para o qual foi engendrado. Jesus a chamou de Reino de Deus. Nomes diferentes para a mesma coisa, e utilização diversa para o mesmo soft. Aristóteles queria ensinar as pessoas a usar essa ferramenta para torná-las sábias  e eficientes em tudo que quisessem fazer. Jesus queria ensinar as pessoas a usá-la para se tornarem virtuosas, boas, honestas. Uma visão filosófica e uma visão religiosa.  
 
      Jesus e Aristóteles, se vivessem em nosso tempo, seriam hábeis programadores. Um seria guru outro seria coach. Talvez a soma dos dois fizesse um homem perfeito. Poucas pessoas souberam usar tão bem os cérebros que ganharam de Deus. O resultado é visível ainda hoje. Milhões de pessoas ainda veem o mundo pelos olhos deles e pelo que eles produziram nos seus Windows.
     Aristóteles acreditava que essa propriedade era comum a todos os elementos da natureza, fossem eles minerais, vegetais ou animais. No caso do ser humano, ela pode ser a informação primordial que nos é transmitida no momento exato em que somos concebidos.
     É essa informação matriz que nos organiza de certo modo e nos distingue como indivíduos pertencentes a uma determinada espécie em particular. Ela também nos leva a procurar em cada resposta dada à vida, uma superação da resposta anterior. Isso resulta no processo que chamamos de evolução. 
Dessa forma, enteléquia age no organismo forçando o seu desenvolvimento biológico e também age no aparelho psíquico humano, para fazer com que ele procure colocar, em cada manifestação emitida, uma qualidade superior.
Essa proposição significa também que seja qual for a nossa herança biológica ou social, é sempre possível, para qualquer um de nós, aprender a ser eficiente em nossos comportamentos, pois a informação primordial para chegarmos a esse resultado é uma herança compartilhada por todos os seres humanos. Só precisamos aprender a trabalhar adequadamente com essa matriz inicial e derivarmos as funções necessárias ao nosso perfeito desenvolvimento.
Por isso Jesus disse que o Reino de Deus está dentro de nós. E que o procuremos em toda sua justiça, porque todo o resto que precisarmos nos será dado por acréscimo. É verdade. A janela está aberta. Cada um vê o que quer. Cada um escreve o que quer. Cada um produz o quer. E cada um recebe de acordo com que produziu.
                                     

 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 14/02/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras