João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


METÁFORA- VIAGEM

                                   VIAGEM
 
 
         Imagine que você está embarcando para uma longa e maravilhosa viagem. É a viagem que sempre sonhou fazer. O veículo que o (a) levará é um trem e ele está pintado com as cores que você mais gosta. Feche os olhos e imagine-se subindo nele. 
       Agora você agora está dentro dele.  Olhe em volta. Você está vendo um vagão confortável, amplo, limpo, iluminado, decorado com as cores da sua preferência, cheio de poltronas amplas e macias. Você se senta em uma delas com um longo suspiro de satisfação e relaxa.

        Há outras pessoas nesse vagão. São todas pessoas que gostam de você. Você sabe disso porque vê em seus rostos o sorriso de amizade e o olhar meigo e uma tênue claridade ilumina o vagão. Você se sente seguro, confiante e feliz.
       Agora olhe pela janela. Lá fora brilha um sol maravilhoso, que projeta sobre o horizonte belos tons dourados sobre um fundo deliciosamente azul, muito azul.
     Uma sensação de profunda calma começa a invadir seu corpo. Você respira pausada e profundamente, levando oxigênio a todas as partes do seu corpo. 
     Pela janela do trem vê as casas se afastarem e percebe que ele está atravessando um extenso campo, coberto de flores de todas cores, que se estende até onde a sua vista pode alcançar.
     As árvores e flores passam diante dos seus olhos como se estivessem caminhando em direção contrária á que o trem o está  levando. Mas até onde você pode ver, árvores, flores, borboletas, passarinhos e abelhas parecem estar muito felizes, pois  todos se sentem membros de uma mesma família, dividindo pacificamente o mesmo espaço e os mesmos recursos que a natureza oferece a todos. 
       E você percebe que cada um pega o que é seu com naturalidade, como se soubessem exatamente o direito que tem e ninguém precisasse pegar mais do que precisa para viver. As árvores, o calor do sol e os nutrientes da terra, passarinhos, as borboletas e as abelhas, o oxigênio e os alimentos que a natureza lhes oferece, e os homens, todos dividem os recursos naturais com a mesma justiça e parcimônia. Não há conflitos entre eles.

        Uma sensação de gostosa paz vai se espalhando pelo seu corpo e você não sente mais o lugar onde está, nem escuta outras vozes ou quaisquer ruídos, mas apenas uma música suave que vai invadindo a sua mente e colocando-o num estado de infinita paz e serenidade. É a música de sua preferência, aquela canção que você mais gosta. Ela ressoa em sua mente como se fosse a voz da pessoa que você ama.
      Você se sente leve como um pássaro, planando pela superfície de um campo coberto de flores, tão perfumadas que até pode sentir o aroma delas. Está voando, respirando fundo, fácil, e se sente muito feliz. E percebe que a sua alegria cresce ainda mais quando vê que outras pessoas estão dividindo com você essa sensação maravilhosa de liberdade, leveza e paz. O mundo está em paz, você está em paz.
     Você olha para elas, elas olham para você, você sorri para elas, elas sorriem para você.  Com aceno de cabeça e um brilho no olhar você percebe que elas concordam em dividir com você a força que elas têm.  E você também concorda em dividir com elas a força e a energia que está sentindo no próprio corpo. E ali mesmo, em pleno voo, você recebe delas uma fonte inesgotável de alegria, entusiasmo, motivação e confiança, que deles vêm para você como se fossem ondas de luz, que o envolve,  enlaça, enche de alegria, e  fazem sentir que você, agora, é uma pessoa cheia de força, pródiga de entusiasmo, capaz de realizar todos os seus sonhos, realizar todos os seus projetos, amar o mundo, as pessoas e você mesmo com toda a força do seu coração. E você também devolve para elas ondas de amor e energia em forma de uma luz que sai de suas mãos e ilumina todo o vagão.
       Principalmente, você sabe agora que também tem muita coisa para doar as outras pessoas. Sabe disso por que vê no rosto e nos olhos delas o bem que você lhes fez, transmitindo a elas a energia que sai de você em ondas de luz e envolve todas as pessoas dentro do vagão. Sim. Veja isso. Veja as ondas de luz que saem de você e envolvem as pessoas nesse vagão.

      Você sabe agora que todas as pessoas merecem respeito, que todas tem alguma coisa boa para compartilhar. Descobriu também que não precisa temer pessoa alguma e que não tem necessidade de mostrar sua força para ninguém. Aprendeu que tudo pode ser obtido através de uma troca justa, por consentimento mútuo, e que ninguém pode tirar nada de você, a não ser o que você mesmo queira doar, e que você também não quer absolutamente nada a que não tenha realmente direito e não seja obtido por mérito seu.
       Você se sente forte e confiante e todo o seu ser experimenta uma infinita paz. Uma voz dentro de você lhe diz que toda vez que quiser e precisar, poderá embarcar de novo neste trem, fazer novamente esta viagem e se abastecer da força necessária para vencer qualquer obstáculo que surgir em sua vida. Basta que você se lembre desta música que está ouvindo agora em sua mente.
       Deixe-a tocar, delicie-se com ela. 
       Agora você olha pela janela do trem e vê que ele continua atravessando um extenso campo, repleto de flores de todas as cores, perfumadas com os todos os perfumes. Você ouve a música tocando no ambiente e sente que ela o acalma e enleva; e agora, junto a essa música, a voz da pessoa que você mais ama lhe diz: “você tem agora todos os recursos que precisa para realizar os seus objetivos. Não tenha medo, vá em frente, aja com a certeza de que não poderá falhar. Faça isso por mim, faça isso por você mesmo, faça isso por todas as pessoas que você ama.”
        E o trem vai seguindo, e agora você está ouvindo o som das suas rodas deslizando, compassado, sobre os trilhos. O som vai diminuindo, até que você não o ouve mais. Em seus ouvidos resta só a música que toca, cada vez mais suave, cada vez mais envolvente, mais relaxante.

       Pela janela do trem você vê os campos se afastarem e os horizontes diminuírem até sumirem por completo. Ao longe percebe um borrão de luz, que vai aumentado à medida que o trem caminha em direção a ele. O trem entra na zona de luz e dentro dela há uma cidade, a sua cidade, a cidade onde você mora. Ela está esperando por você, com todos os seus tesouros para lhe oferecer.
      O trem entrou na estação, as luzes do vagão se acenderam e você percebe em baixo das suas pálpebras a claridade delas, que o despertam como se uma linda manhã estivesse nascendo naquele exato momento.
      Você abre os olhos e se vê de novo no mesmo lugar onde embarcou. Está em sua casa, sentado na sua poltrona favorita e vê que fora de você nada mudou. Só você está diferente. Descobriu que tem dentro de si um universo inteiro, onde existem fontes inesgotáveis de recursos que você usar quando precisar e lugares esplendorosos que pode visitar quando quiser, para se curar, descansar ou simplesmente sonhar.  Aprendeu como acessar esses recursos sempre que precisar. E isso o faz calmo, seguro  e confiante. Percebe que é muito bom sentir-se assim.
      E com um suspiro fundo e um grande sentimento de alegria no peito você diz para si mesmo: " De agora em diante, quando alguém olhar para mim perceberá que há uma nova e inspiradora luz nos meus olhos e um brilho fulgurante no meu sorriso."
      E essa será uma grande verdade, pois você acabou de voltar da viagem mais inspiradora que alguém pode fazer: uma viagem dentro de você mesmo para se encontrar com a sua própria lenda pessoal.
 
 
 
 
 
 

 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 01/07/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras