João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


Livro: A Árvore e a Loja- Influência da Cabala na Maçonaria.
No prelo.
(extraído do capítulo VII)
As sete leis herméticas
 

De algum modo todas as "escadas" referidas nos diversos Mistérios iniciáticos se referem aos “sete mundos”, ou os sete estágios de sabedoria que o espírito humano deve galgar para atingir a iluminação. Representam as seis esferas que formam os dois triângulos os quais, na Árvore da Vida da Cabala, simbolizam a estrutura do mundo espiritual (os arquétipos, ou universais) e do mundo físico. Estes dois triângulos, conhecidos como Ético e Formativo, são centrados nas sefirot Geburah, Hod e Tiphered (triângulo ético) e Hod, Netsach e Iesod (triângulo da formação). Junto com Malkuth, a última sefirá, elas compõem os sete degraus do mundo manifesto, descrito na Árvore da Vida.(1)
Referem-se também ás sete leis do mundo espiritual, expressas por Hermes Trismegisto, segundo os autores do Caibalion.(2) Essa obra (Caibalion) reúne os ensinamentos básicos da doutrina hermética, explicitando as leis que regem a formação de todas as coisas manifestadas. É uma doutrina, que, em resumo, deduz que o mundo espiritual é regido pelas seguintes leis:
 
1.      Lei do Mentalismo: expressa no enunciado: "O Todo é Mente; o Universo é mental."
     Nesse enunciado se diz que o universo é gerado pelo pensamento divino. Há um “ser” que pensa o universo e gera leis que regem a sua formatação. Por meio dessas leis o Criador rege e desenvolve toda a realidade cósmica. Assim, todo grão de matéria universal tem uma “centelha” do pensamento de Deus. Nesse sentido nós também temos, aprisionada em nosso corpo material, uma centelha desse princípio luminoso, essa energia latente que deu origem a tudo que existe.
 
2.      Lei da Correspondência, expressa no enunciado: "O que está em cima é como o que está embaixo. E o que está embaixo é como o que está em cima".
 
     É a lei da relatividade, expressa em termos espirituais. Aqui se diz que as perspectivas mudam de acordo com as referências que temos das coisas. A visão que temos da terra nos impede de enxergar outros domínios acima e abaixo de nós. A nossa atenção fica concentrada naquilo que podemos ver e abarcar com nossos sentidos, de maneira que o que está além do território da nossa sensibilidade nos escapa. Mas o universo é igual em toda parte. O microcosmo reflete o que existe no macrocosmo. O que ocorre no infinito do espaço é igual ao que ocorre no interior do átomo.
 
3.      Lei da Vibração, que se expressa pelo enunciado: "Nada está parado, tudo se move, tudo vibra"
 
     Essa lei assegura que todo movimento do universo é vibratório. Esse princípio dá vida e movimento ao cosmo em sua totalidade. Todas as coisas têm seu próprio regime de vibração. Nada está em repouso. Nada é inerte na natureza. Das galáxias às partículas subatômicas, tudo se movimenta, procurando suas próprias conformações. Essa é uma verdade já comprovada pela ciência moderna. Toda matéria (e espírito também) são feitos de átomos, os quais são gerados por ondas e partículas de energia que se movem e oscilam conforme suas próprias estruturas o exigem. Não há matéria passiva ou inerte no universo, como pode parecer aos nossos olhos, mas todas têm movimento, porque tudo é feito de energia e a energia nunca se submete á inércia.
 
4.      Lei da Polaridade, expressa no enunciado: "Tudo é duplo no universo, tudo tem dois pólos, tudo tem o seu oposto."
 
     A polaridade é uma lei necessária á constituição das realidades universais. É preciso o macho e a fêmea para gerar um novo ser, as trevas para que a luz possa brilhar, o falso para que o verdadeiro possa ser revelado, o frio para que o quente se manifeste e assim por diante. Essa verdade já havia sido denunciada pelos filósofos taoístas na simbologia yin\yang. (3)A atração entre os opostos representa a chave de poder no sistema hermético. Os opostos são apenas extremos da mesma realidade. Sem pólo negativo e positivo, a corrente não se movimenta e não gera energia. Por isso os hermetistas representavam o universo através da imagem de uma serpente que engole a própria cauda (a serpente oroboros).
 
5.      Lei do Ritmo, expressa pelo enunciado: "Tudo tem um fluxo e um refluxo, tudo que sobe desce, tudo que vai, volta. Sem esse ritmo não haveria equilíbrio."
 
     Essa é uma lei que deriva da anterior (lei da polaridade) e a complementa. Pode-se dizer que o princípio é manifestado pela ação criativa e a ação destrutiva. A ciência moderna já comprovou esse fato. As ondas de energia executam movimentos rítmicos que compreendem ascensão e queda, onde a energia cinética se converte em potencial e a potencial em cinética. Os opostos se movem em círculos. As correntes se expandem até chegar ao ponto máximo, e depois de atingir sua maior força se tornam massas amorfas, recomeçando um novo ciclo, dessa vez em um sentido inverso. A lei do ritmo serve para assegurar a manutenção do equilíbrio universal. É a lei que rege a vida e a morte das espécies.
 
6.      Lei do Gênero, expressa pelo seguinte enunciado: "Tudo tem seu próprio gênero: Os princípios, Masculino e Feminino, se manifestam em todos os planos da criação".
 
     Nesse enunciado se assevera que nada pode ser gerado no universo sem a presença de um princípio feminino e um masculino. Esses princípios não existem independentes um do outro, mas suas existências só podem ser manifestadas na presença do seu oposto. Dessa forma não há nada no universo que seja inteiramente masculino ou feminino. Em todos os seres da natureza, física e orgânica, há um balanceamento entre esses dois princípios. A predominância de um ou outro em certos momentos, ou eventos, ocorre por força da função que a natureza lhes delega no processo de geração.
.
7.      Lei de Causa e Efeito, expressa no enunciado: "Toda causa tem seu efeito, todo efeito tem sua causa."
 
     Nessa lei se diz que nada acontece por acaso, pois essa possibilidade não existe no universo.  O que chamamos de acaso é simplesmente o desconhecimento das causas que provocam um fenômeno. Desse enunciado se deduz que existe “responsabilidade” por trás de todos os acontecimentos, o que nos leva ao princípio admitido pelos cabalistas e pelos adeptos das doutrinas orientais que trabalham com a noção do carma. Essa verdade também já foi comprovada pela ciência moderna, que nela vê um princípio atuante, chamado pelos estudiosos de “efeito-borboleta”. Esse efeito, expresso na famosa Teoria do Caos, proposta pelo matemático Edward Lorenz em 1963, diz que qualquer ação, por menor e mais irrelevante que seja, gera conseqüências no equilíbrio do universo. Devemos, portanto, tomar muito cuidado com o que fazemos.(4)   
     Toda essa simbologia é encontrada nos ritos maçônicos e aproveitada para transmissão dos seus ensinamentos. Ela pode ser verificada principalmente no catecismo do grau 28, denominado “Cavaleiro do Sol”, um grau de conteúdo essencial-mente místico, com claras alusões a temas alquímicos e herméticos, e que mostra, também, uma clara influência da doutrina cabalista.(5)
 
[1] Ver o nosso artigo A Árvore da Vida, neste site, que desenvolve com mais profundidade esse tema.
[2] Caibalion (Kybalion) é um livro publicado em 1908, atribuído a três indivíduos auto-intitulados “Os Três Iniciados”. Discorre sobre os Princípios Herméticos enunciados por Hermes Trismegisto, um lendário personagem que teria ensinado aos homens os princípios da ciência hermética. Os estudiosos acreditam que ela foi escrita por um autor esotérico chamado William Walker Atkinson.
[3] Lao Tsé- Tao Té King- Ed. Pensamento- 1986
[4] Ver o nosso artigo Carma e Maçonaria, publicado neste site, que se refere ás leis cármicas.
[5] A esse respeito, ver a nossa obra “Mestres do Universo”, publicada pela Biblioteca 24x7, que discorre sobre o conteúdo místico desse grau.
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 07/11/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras