João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


 
BEM-AVENTURADOS OS QUE AMAM

 
Bem-aventurados os que são pobres no seu ódio, porque eles serão ricos no No amor.

Bem-aventurados os que buscam a mansidão de um verdadeiro amor, porque eles possuirão a paz dos realizados.
Bem- aventurados os que choram por um amor perdido, porque serão consolados por um novo amor;
Bem-aventurados os que têm sede e fome de amor porque serão fartos no seu desejo;
Bem-aventurados os misericordiosos, que distribuem o seu amor sem que lhes seja pedido, porque eles serão amados por toda a vida;
Bem-aventurados os amam com o coração limpo, só desejando a felicidade do seu próximo, porque Deus também o amará.
Bem-aventurado aquele que busca construir a paz doando amor, pois que estes sim, serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrerem perseguição por muito terem amado e por muito terem desejado a justiça e amor para todos, pois estes encontrarão abrigo nos braços da felicidade.
Bem-aventurados sereis, quando souberdes amar de verdade e sem jamais mentir ao vosso amor, fordes capaz de fazer dele o verdadeiro sentido da vossa vida; Alegrai-vos e exultai, porque será grande a recompensa dos vossos sentidos e maior ainda a alegria da vossa alma. 
Porque o amor é o sal da terra; se não houvesse o amor,   com que se poderia temperar a vida? Para que serviria ela, senão como uma jornada insossa entre o nada de antes e o nada de depois?
O amor é a luz do mundo. Quando ele se acende em um coração, como é possível escondê-lo? Não se pode esconder o coração que ama, pois ele brilha como um sol nas alturas e seu calor aquece a todos que se banham na sua luz; assim, deixe que todos saibam do seu amor para que ele inspire e contamine aqueles que ainda não tiveram esse privilégio.
Não julgueis que o amor cancela as leis, as regras e os demais valores; ao contrário, ele cumpre todos esses valores e ainda mais os eleva, justifica e valoriza. 
Pois em verdade vos digo que sem amor não há nem céu e nem terra; nada, nem ninguém passará de mero grão de poeira lançado num espaço sem limite e sem finalidade; pois só o amor é um fim em si mesmo, e o que ele constrói não perece, porque repercute na eternidade.

Aquele pois, que não amar e ensinar aos homens o desamor, será considerado o menor entre os homens e não terá sequer o direito de comparecer perante Deus;
Porque eu vos digo que, se o vosso amor não exceder o mero sentimento de posse, e o desejo egoísta de ter alguém para chamar de “seu”, não entrareis no reino dos céus, porque o reino dos céus é o reino do verdadeiro amor.
E nele só entrarão aqueles que amaram de verdade.
 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 28/03/2018
Alterado em 28/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras