João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


Minha morte é a companheira constante
Que desde que me sei, sempre a vi aqui,
Como uma parceira, ou inimiga amante,
Que nasceu no mesmo dia em que nasci.
 
Amigos tive, e alguns talvez me amaram.
A felicidade veio, e esta também passou;
Os parentes e as mulheres me deixaram,
Minha morte não, essa nunca me deixou.
 
Morrer é um casamento de papel passado
Com uma parceira, ainda que indesejada,
Mas que a vida toda esteve do nosso lado .
 
Alegre ou triste, este é o meu pensamento:
"A vida de um homem já vem condenada,
À pena de morte desde o seu nascimento."

 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 10/05/2018
Alterado em 11/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras