João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


                             
                                                   
Cientistas analisaram núcleos de rochas no Golfo do México e concluíram que foi ali que caiu o meteoro que matou os dinossauros e deu início às novas formas de vida que passaram a habitar a terra, antes dominada pelos grandes répteis. Foi o enxofre liberado pela queda desse meteoro que envenenou a atmosfera e matou os velhos “dinos”. O enxofre é o mais corrosivo dos ácidos. É o elemento químico do capeta, segundo velhas tradições religiosas. Os padres da Inquisição também diziam que um cheiro de enxofre ficava no ar quando o diabo aparecia.
Há um cheiro de enxofre no ar, especialmente em Brasília, onde a grande maioria dos “dinos” se reúnem para dividir territórios e traçar planos para a conservação das espécies. E também em pontos determinados do planeta Brasil, onde se reúnem as Assembleias Legislativas Estaduais, local em que os sauros regionais se reúnem para imitar seus congêneres do Planalto. O enxofre se espalhou pelo país, não porque o diabo tenha aparecido no último domingo, dia sete de outubro, mas sim porque caiu um meteoro sobre as Assembleias, tanto a de Brasilia quanto as estaduais e uma boa parte dos “dinos” foi abatida.
Alguns deles tinham grandes proporções e mandavam em seus territórios há muito tempo. Não só mandavam como também preparavam suas crias para continuar a dinastia. Muitos deles eram predadores perigosos e insaciáveis, como os velhos tiranossauros rex. Suas presas preferidas eram os cofres públicos, os cargos nas estatais, os ministérios e as secretarias, onde a grana rola solta em grandes contratos com empreiteiras.
O meteoro chamado eleição, que caiu no último domingo, tirou da vida pública alguns desses velhos e insaciáveis “dinos” que faziam de Brasília e das Assembleias estaduais um Jurassic Park infecto e intransitável para qualquer outro animal decente.
Vários se salvaram, pois a experiência acumulada em séculos de vida predatória (alguns deles tem suas origens em antepassados que vieram com os primeiros colonizadores), os ensinou que, em tempos de perigo, o melhor abrigo é o lugar de onde saíram. Como a maioria desses “dinos” é oriunda dos grotões nordestinos e das selvas diluvianas do Amazonas, Pará e Mato Grosso, é para lá que eles voltam em épocas de eleição, e o bom povo dessas paragens esquecidas por Deus os protege com seus votos. E assim eles sobrevivem, para desgosto de quem gostaria de vê-los empalhados em um museu.
Talvez o meteoro que caiu no último domingo não seja tão grande como aquele que acabou com a era jurássica. Quem sabe precisaremos de mais um. E também há quem diga que esse meteoro está contaminado com gases ainda mais tóxicos do que o enxofre que matou os antigos “dinos”. Pois ele carrega o vírus da intolerância e do fascismo, destruidor da democracia e da liberdade. Vamos ver. O novo sempre é incerto. Mas que está soprando um ventinho de  esperança sobre a terra, isso está.
 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 10/10/2018
Alterado em 11/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras