João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


Sou bacharel em economia e direito e fiz alguns cursos de pós-graduação principalmente na minha área profissional, que é a tributação. Como auditor da Receita Federal e professor de direito tributário sempre procurei entender os meandros dessa arte tão difícil que é a administração pública e como ela é exercida pelos políticos que nós elegemos para nos governar.
Mas devo confessar que quanto mais tento entender como funciona o sistema econômico que se aplica no Brasil, menos consigo saber que diabo de lógica orienta a cabeça dessa gente.
Não há lógica mais ilógica. Peguemos a tributação sobre combustíveis como exemplo. O Rio de Janeiro é o maior produtor de petróleo do Brasil. Mais de setenta por cento do petróleo do Brasil sai desse estado. Seu espaço territorial é um dos menores do país, com apenas 43.696 km² e sua malha rodoviária é de 24.074,70 km. Pouco mais que metade da que existe no estado de São Paulo, que chega a quase 40.000 Km,e territorialmente  quatro vezes maior.  No entanto, um litro de gasolina, no Rio de Janeiro, custa quase trinta por cento mais do que em São Paulo.
Então vem a pergunta: porque o maior produtor de petróleo do Brasil tem a gasolina mais cara do país? A resposta está no nível de tributação de que cada estado aplica sobre a produção e a distribuição desse produto. Em São Paulo se cobra 24% de ICMS. No Rio essa tributação é de 35%. Com o acréscimo dos demais tributos (PIS/COFIN= 0,7925 por litro, CIDE= 0,1000  por litro), impostos federais com alíquotas iguais em todos os estados, teremos a razão do porque a gasolina fluminense é uma das mais caras do mundo.
A questão é: porque o Rio de Janeiro, sendo o maior produtor de petróleo do Brasil, com um território tão pequeno e uma malha rodoviária que pode ser considerada boa, (a maioria das estradas cariocas são pavimentadas e não exigem tanta queima de combustíveis como em estradas não pavimentadas) precisa cobrar um ICMS tão alto? Talvez a resposta esteja nas investigações da operação Lava a Jato. Ela está mostrando que o Rio tem sido o estado mais mal administrado do país, desde que as eleições para governador voltaram a ser diretas. E pior que isso, foi pilhado sistematicamente pela maioria dos inquilinos que passaram pelo Palácio da Guanabara nos últimos trinta anos.
 A Lava a Jato mostrou que a corrupção, no governo do Rio, não está apenas no executivo, mas corrói a estrutura inteira do estado, envolvendo o legislativo, o judiciário e toda a máquina administrativa. Justifica-se que se precise cobrar impostos tão altos para financiar tamanha roubalheira. É dizer: quem escolhe mal seus administradores paga mais caro por isso.
O novo governador eleito pelo povo fluminense está prometendo mudar tudo isso. Esperamos que suas promessas sejam cumpridas. Adoro o Rio de Janeiro e ele continua lindo, mas as coisas que os políticos andam fazendo por lá nunca foram tão feias.
 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 30/10/2018
Alterado em 30/10/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras