João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


BOLSONARO E A FÁBULA DO MORCEGO


     Esopo conta que um morcego e uma perereca, descontentes com suas formas físicas, imploraram a Deus para transformá-los em pessoas. Pediram ao Criador que fizesse deles um rapaz e uma moça, profundamente apaixonados um pelo outro.
Deus ficou com tanta pena que condescendeu. Afinal, morcegos e pererecas são inimigos naturais e quando se encontram, normalmente a perereca acaba indo parar no bucho do morcego. Assim o Criador pensou que talvez fosse bom, só por experiência, que ao menos uma vez eles se amassem em vez de um jantar o outro. 
Transformados em dois jovens de grande beleza, o morcego e a perereca decidiram ir a um motel para sua primeira noite de amor como um casal de apaixonados. (Este acréscimo é meu).
Mas eis que no melhor do lance, uma mosca entra no quarto e fica zoando em volta dos dois. A garota, imediatamente, esticou a enorme língua e abocanhou a bichinha como se fosse um aspirador chupando um grão de poeira.
Nesse momento o encanto se dissipou e ela tornou-se novamente uma perereca.  E o rapaz, transmutado imediatamente em morcego, saltou em cima dela, devorando-a sem dó nem piedade.
Pela manhã, a camareira que arrumava os quartos encontrou os restos da perereca em cima da cama e quase desmaiou quando viu um morcego bem gordinho voejando em volta do quarto procurando uma saída.
      Há várias lições de moral nesta estória. A primeira é que a gente precisa se conformar com a forma que a natureza nos fez. A segunda é que não devemos ficar desejando ser o que não somos. A terceira é que precisamos aprender a escolher com sabedoria os nossos parceiros. A quarta é que, por mais que disfarcemos o que somos, a nossa natureza sempre nos denunciará.
    Dedico essa fábula ao Presidente Jair Bolsonaro. Ele é o que é: um militar  reacionário que trocou a farda pelo terno. Além da sua personalidade retrógada e reacionária, que sonha voltar aos anos sessenta e setenta do século passado, ele escolhe muito mal os seus parceiros. Em três meses de governo já trocou dois ministros e dificilmente terminará o seu mandato com essa turma de destrambelhados que ele colocou em seu ministério.  
     Um povo cansado de ser espoliado por um governo de esquerda, populista, demagógico e corrupto, que com a desculpa de promover programas sociais provocou a maior crise econômica, social e ética que este pais já viveu, se encantou com as promessas de um militar travestido de político. Mas esse encanto começa a ser quebrado já nos primeiros meses de governo. Alguém precisa dizer ao Bolsonaro que ideologias, de direita ou de esquerda, não trazem felicidade para ninguém, nem prosperidade para um país. O que faz a diferença são governos honestos, comprometidos e com planos de governo exeqüíveis e funcionais. O resto é só má política, e nesse mister, parece que nada mudou no Brasil.   

 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 08/04/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras