João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos


                          CANTANDO NA CHUVA
 

A chuva cai lá fora
Com força e intensidade.
Já estava mesmo na hora
De chover nesta cidade.
Eu estou meio esturricado
Com esta estiagem.
Pareço arbusto de caatinga,
Enterrado na paisagem
De um chão amaldiçoado
Onde a vida nunca vinga.
 
Coração sem amor,
É como cama de viúva,
Onde falta o calor
De uma boa sacanagem.
Por isso vou sair na chuva,
Fazer alguma bobagem,
Passear novamente,
Sem pensar em nada
Como quando era criança
E seguia a corrente
Da alegre enxurrada,
Até onde a vista alcança.
 
Vou sair descalço,
Com a cabeça descoberta,
Como fazia antigamente.
Nos tempos de criança.
Quero dar um passo em falso
Mesmo que depois fique doente
Ou que a gripe seja certa.
A pior doença é a solidão,
Quarto vazio é um cadafalso
Onde se promove a execução
De toda a nossa esperança.
 
Quero andar a esmo,
Sem rumo e nem direção.
Quero regar a mim mesmo,
Como se fosse uma semente,
Que alguém jogou no chão.
Quem sabe eu veja tudo novo
Novo corpo, nova mente,
Quem sabe, novo coração.
Talvez assim eu quebre o ovo
E acabe nascendo novamente.
                                         
Quero a água em minha pele,
Quero seguir essa corrente,
Navegar nessa enxurrada.
Vou dançar na chuva também
Como fez o Gene Kelly.
Este desejo é muito antigo,
Não veio assim de repente
E não é uma coisa amalucada.
E quem sabe eu ache alguém
Que queira dançar comigo
Uma valsa na calçada,
Ao som de Singin’ in the Rain
 
João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 10/05/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras