João Anatalino

A Procura da Melhor Resposta

Textos

          

A crença na existência de um Criador e a sensibilidade de que Ele está conosco, na forma de uma centelha de Energia é fundamental para podermos criar, dentro de nós, um espaço onde cada um pode gerar o seu Tzim Tzum pessoal.(1) Nesse espaço conceitual, onde a Energia que o Criador nos prodigalizou se concentra, o Ego, que é o verdadeiro demônio tentador, não tem poder. Porque esse espaço estará completamente preenchido pela Luz Infinita do Criador.

O primeiro passo para criar esse espaço onde a Luz do Criador brilhará com todo o seu esplendor é reconhecer que precisamos de Deus. Que somos fortes e capazes; que temos liberdade de escolher e somos cocriadores do universo. Mas sem a presença de Deus em nossas vidas não seremos capazes de acionar essa imensa energia que Ele colocou em nós.

O Ego, diabo que o nosso Desejo de Receber só para nós mesmos cria dentro de nós, coloca muitos obstáculos que obstruem a passagem da Luz Infinita. Vícios como o fumo, o álcool, as drogas, a luxúria e outras aberrações físicas e psíquicas que nos acometem, bem como sentimentos destrutivos como o ódio, a inveja, a mesquinhez, autopiedade etc, são alguns desses obstáculos que esse demônio nos coloca para impedir a passagem da Luz.

Uma pessoa possuída por esses “espíritos” maus pode lutar o quanto puder para exorcizá-los, mas não o conseguirá se uma força superior não lhe for inoculada, ou aliciada no âmago do seu ser - a sua alma - para ajudá-lo nessa empreitada.

Seja como for, e aonde for, nós nunca estamos sozinhos. Nós temos a nossa alma e ela é uma centelha da Energia do Criador. Podemos sempre falar com ela. Ela é a nossa ligação com Deus. Ela está em contato com Deus. Ela nos providenciará uma ligação direta com Ele.

Nós só temos que convencer o nosso Ego que ele tem que ficar quieto, tem que se calar quando estivermos falando com a nossa alma. Ele sempre tentará falar mais alto, sempre tentará atravessar a comunicação. Todos nós já tivemos exemplo disso quando tentamos orar, quando procuramos nos comunicar com Deus. Há sempre pensamentos importunos que se intrometem na comunicação, muitas vezes, cortando-a ou até sugerindo heresias.

Ela é a “a outra parte”, aquela parte que sente prazer no vício e na rebeldia. Ela “acha” que está nos fazendo bem com os comportamentos que sugere. É preciso convencê-la que há escolhas mais saudáveis do que aquelas que ela nos inspira. Escolhas que podem nos satisfazer muito melhor.

O nosso Ego é apenas o nosso Desejo de Receber que desenvolveu uma tendência de reter a Luz Infinita do Criador só para si. Ele não sabe que quando obsta a passagem da Luz Infinita do Criador, retendo-a, ele está nos prejudicando, e ao nos prejudicar prejudica a si mesmo porque ele faz parte indissociável de nós. Ele é como o tumor que corrói o próprio organismo onde se instala. Dele falou o sábio eclesiástico: “quem perturba a paz da sua casa herdará o vento, e o insensato será servo do sábio de coração”.[2]

A melhor estratégia para evitar que o Ego nos afaste cada vez mais da Luz do Criador é negociar com ele. Reconhecer que ele é importante para a nossa vida porque é através dele que realizamos o nosso Desejo de Receber. Devemos agradecer-lhe pelo prazer que ele nos proporciona com as escolhas que ele nos sugere. E mostrar a ele que, quando os bons resultados não ocorrem, há outras escolhas, mais sadias, que poderiam nos trazer melhor resultado. As técnicas desenvolvidas pela PNL ensinam como fazer isso através de um exercício chamado “Acordo entre partes”, e a Cabalá nos encaminha no mesmo sentido quando aconselha a não brigar com o nosso Ego, mas sim tentar convencê-lo a fazer escolhas diferentes daquelas que estão nos fazendo mal.

 

Por fim, é preciso tomar cuidado com o sentimento de autossuficiência. Ele também é uma inspiração do Ego. Boa parte da nossa educação nos induz a ideia de que somos capazes de tudo e que não precisamos da ajuda de ninguém para atingirmos os nossos objetivos. Esse sentimento nos ilude o tempo todo. Principalmente, ele nos faz crer que todo o nosso progresso, a nossa felicidade, bem estar, riqueza, foram adquiridos pela nossa competência em escolher e realizar.

Ledo engano. Se não fôssemos tão egocêntricos bastaria uma pequena incursão em nossa história de vida para recensear todos os pequenos favores que recebemos, toda a ajuda que nos veio de fora, todo o bem que nos foi feito por alguém, ou por algum acontecimento fortuito que nós chamamos de “sorte”, mas que, na verdade, é apenas um momento de Luz que capturamos na vida.

Mas geralmente o nosso Ego não nos deixa perceber esses detalhes. Afinal ele é aquele que murmurou no ouvido dos nossos primeiros ancestrais que eles “se tornariam deuses” se desobedecessem aos preceitos do Senhor.

E continuam falando aos nossos ouvidos coisas como essas. E nós nos tornamos arrogantes, atrevidos, autocratas. Somos os self made mans. Mas homens que se fazem por si mesmos não existem. Eles são um mito da civilização moderna. Uma ilusão do Ego. Ninguém se faz sozinho. Há sempre um pai, um professor, um amigo, cliente, concorrente e até os inimigos, nos ajudando a construir o edifício do nosso sucesso.

Se formos capazes de reconhecer isso então estaremos prontos para começar a transformação espiritual que nos levará à plenitude da Luz do Criador. E o nosso Desejo de Compartilhar se tornará dominante em nossa alma, carregando-a com a Energia transformadora que nos dará a felicidade que todos buscamos. Essa é a verdadeira iluminação.

A falta de humildade também bloqueia a circulação da Luz do Criador em nós. Humildade é uma virtude que ajuda. Ela é como a água, que procura os níveis mais baixos para se acomodar, mas ninguém consegue viver sem ela.

É preciso lembrar sempre que nada, no mundo, nos pertence. Somos agentes de transmissão da Luz Infinita e não proprietários dela. Tudo que há em nós, até mesmo as nossas qualidades pessoais saíram dessa Luz dos Princípios. Sem o Criador simplesmente não existimos. Sem a Sua Luz somos apenas um vazio cósmico sem sentido nem presença de qualquer sinal de existência. E principalmente não devemos nos esquecer que Deus não nos deve nada e não temos que ficar cobrando Dele qualquer atitude que nos beneficie. Ele já nos deu tudo que precisamos na forma da Sua Luz Infinita.

 

Lembremo-nos também que nós não produzimos a Luz que faz de nós o que somos. Nós só a portamos. E ela nos é retirada a qualquer momento sem que possamos impedir.

A vida que levamos, como vimos, e a física quântica nos comprova, é uma ilusão do nosso Ego. Ela só existe porque fazemos parte do universo. Ela é uma consequência do Desejo de Receber que o Criador colocou na massa física que a Sua Energia espalhou pelo vazio cósmico. Massa física da qual somos a parte mais importante.

Temos que pedir sempre a ajuda de Deus. Ele nunca a negará pois como vimos, a nossa alma é uma centelha de Energia que saiu Dele. Ele não quer que ela se apague. Ele a quer cada vez mais forte, brilhante, fulgurante.  

A Luz que brilha em nossa alma é a Estrela Flamejante que todos buscamos contemplar. Ela não está no céu nem em qualquer outra parte. Ela está dentro de nós. Afastemos as cortinas que a obstruem para que ela brilhe soberana e ilumine sempre o nosso caminho.  

 


1] Tzin Tzum é uma expressão usada pela Cabala para designar o espaço conceitual no qual a energia divina se concentrou para dar início ao universo físico através da grande explosão do Big Bang. É um conceito criado pelo cabalista Isaac Lúria.

2- Provérbios: 11:29

João Anatalino
Enviado por João Anatalino em 30/11/2023


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras